Crônicas

CONFISSÕES DE UM APAIXONADO

Nunca pensei que um dia tivesse coragem de expor publicamente os meus sentimentos. Ainda mais tratando-se de assuntos de foro íntimo . Acontece, porém, que quem escreve é escravo do que pensa e –acima de tudo- compartilha com os seus leitores os momentos importantes da sua vida. Posso tornar público o que sinto, já que minha mulher foi a primeira a saber e, hoje, conformada, aceita a situação com o altruísmo de quem é feliz com a felicidade dos outros. Sei que para ela não deve ter sido agradável, no início, saber que o marido estava perdidamente apaixonado por outra mulher, mas, que se há de fazer? Alguém é capaz de controlar os seus sentimentos? Fazer com que a razão controle a emoção no meio do vendaval do amor? Talvez eu devesse parar por aqui e dizer que esse prólogo todo foi forjado, apenas para compor uma matéria diferente, que chamasse a atenção do leitor, mas, como todo homem perdidamente apaixonado, não meço as conseqüências e vou em frente. Afinal, é a tônica de todo apaixonado, clamar o seu amor aos quatro ventos. Eu não estaria inventando a roda. Meus amigos mais chegados, aqueles que freqüentam a minha casa, sabem do meu caso desde o inicio e me deram o seu consentimento, não sem uma pontinha de ciúmes. Afinal, ela é a coisa mais linda que já viram passar por estas bandas. E não vou falar de sua inteligência, picardia ou dengo.Vou falar tão somente dos seus cabelos cacheados, de suas mãos de princesa, de seu corpinho de anjo! Ela é linda demais. E eu sinto-me cada vez mais preso aos seus encantos. Pra falar a verdade, minha mulher já se apercebeu do exagero e, para não criar problemas, tenho de tomar um pouco de cuidado para não extrapolar quando estou ao seu lado. Sim, porque, não pensem que eu ia me contentar em vê-la apenas de vez em quando. Quis tê-la ao meu lado todos os dias o tempo todo e, para isso, tive que costurar um acordo com minha mulher para que aceitasse essa condição. Não foi fácil, mas consegui. Como minha mulher trabalha fora, combinamos que quando ela estivesse no escritório ou tivesse que sair a trabalho, eu ficaria em casa com meu amor, para fazer, junto com ela, o que bem quiséssemos. Por favor, não me condenem. O amor é uma coisa linda demais para ser comparada a um crime. E ela é angelical demais para merecer um sentimento que não seja amor. Dizem que quando o homem passa da meia idade as mocinhas são presas fácil. A mocinha é que prendeu o bandido; quando vi, já estava preso em suas redes. Foi amor a primeira vista. Não teve jeito! O que ela tem para dar é tão belo e tão grande que até minha mulher compartilha comigo dessa cumplicidade, e o dia-a-dia nos pega brigando não por causa dela mas por ela. O nome da minha paixão é Louise; tem um ano e meio e é a minha caçulinha...