Crônicas

A NOSSA IMAGEM LÁ FORA

Jornais do mundo inteiro noticiaram, na última semana, os bárbaros acontecimentos havidos no Rio de Janeiro e na Amazônia. Alguns, aproveitaram a ocasião para rememorar a onda de assaltos e de terrorismo que assolam o Brasil de ponta a ponta, sugerindo aos turistas que evitem certas localidades e listando, inclusive, uma série de recomendações àqueles corajosos que aqui desejam aportar. O Brasil que está sob julgamento do mundo é o Brasil-fora-da-Lei; é o Brasil dos assassinos, dos ladrões, dos assaltantes. É o Brasil, também, do descontrole policial e legal. É inegável e não há como esconder do mundo certas verdades. A sociedade brasileira está atravessando um momento histórico verdadeiramente difícil e triste de sua vida. Chega-se ao cúmulo de descobrir que a distância entre maliantes e alguns policiais (graças a Deus, uma minoria!) está cada vez mais diminuindo, ao ponto de não se saber mais quem é um e quem é outro. A liberdade de ação, por um lado, e a falta de energia do sistema legal, do outro, perpetuam o aumento da criminalidade provocando uma onda interminável de descalabros, sob as vis­tas impotentes da força policial séria e cônscia dos seus deveres perante a sociedade. Estes fatos são, também, o assunto do dia dos milhões de brasileiros de outro Brasil -aquele dos cidadãos honestos, trabalhadores, de boa índole- que zela e ama o que é seu e, portanto, preocupa-se com os destinos do seu país. O rigor da lei e da força policial deve se fazer presente com a máxima urgência! É o que nós todos estamos precisando e clamando, para continuarmos tendo o direi­to de viver em paz, neste paraíso que, um dia, os imigrantes do pós-guerra sonharam em habitar para fugir da fome e da morte. A cada dia que passa a situação se inverte. Quem pode, deixa o Brasil para buscar uma ilha de tranqüilidade para si e para os seus filhos. Senhores! o que fi­zemos do nosso Brasil "verde e trigueiro" é uma vergonha!